PROJECTO CASA

CASA. CACE Cultural, Porto 2008 (vista geral)


CASA

O projecto CASA é longo percurso.
Tendo sido iniciado como uma possível acção de comissariado, à medida que se foi materializando foi levantando mais questões.
O enunciado trouxe intencionalmente movimentações conceptuais em torno da história, da imagem, do relacionamento do público e artista com a obra e espaço em que está inserida, e ao mesmo tempo abriu novas ambiguidades e problemáticas não previstas ( como deve um objecto ser replicado,a devolução do ready-made ao uso, quando um objecto é usado deixa de ser a réplica, a possibilidade de uma verdadeira vivência...) Devido ás suas especificidades, que visam combater o espaço e objecto artístico morto, o projecto CASA é uma proposta que continua a ser trabalhada.

Enunciado/Portfolio fictício

O projecto CASA é uma das propostas de um projecto de comissariado fictício – que se apresenta sob o formato de um portfolio de nome PIZZ BUIN convida. O projecto consistia em mobilar uma casa com obras de arte para que o colectivo pudesse habitar nesse espaço, por um determinado período de tempo. Os artistas/instituições/coleccionadores seriam convidados a disponibilizar uma ou mais peças que seriam utilizadas consoante a sua funcionalidade pelo colectivo durante um certo período. Os critérios de selecção das peças começaram por se centrar na funcionalidade prática dos objectos num contexto doméstico estendendo-se mais tarde também a necessidades pessoais (como funções meramente contemplativas, intelectuais, fetichistas, decorativas etc). A lógica seria na minha casa preciso de…

CASA/cozinha. Artecomtempo, 2007

MATERIALIZAÇÃO

Uma vez verificando-se irreal o empréstimo das peças originais que constituíam o projecto, foi necessário adaptá-lo às nossas circunstâncias/contexto: apropriar os objectos de arte e criar réplicas. Durante dois anos foram pesquisadas, discutidas e produzidas as peças (aprox. 300 peças). O processo implicou uma investigação exaustiva de cada peça, o seu contexto, das suas histórias, autores, os seus materiais e enfim tudo o que dissesse respeito a cada peça individualmente. As réplicas foram muitas vezes interpretações, fazendo com que cada caso fosse um caso diferente.


CASA. CACE Cultural, Porto 2008 (vista geral)


APRESENTAÇÃO/VIVÊNCIA

A primeira apresentação da peça foi feita em Março de 2007, na galeria Arte Contempo em Lisboa, a propósito do projecto Trabalhar Cansa, comissariado por Maria do Mar Fazenda. Nesta primeira exibição foi introduzida a cozinha da CASA, sendo a vivência, neste caso, bastante condicionada pelo espaço (galeria). A apresentação da CASA, como casa, foi feita nos prémios EDP jovens artistas, no Porto, entre Novembro de 2007 e Janeiro de 2008. Para o efeito foi construído um espaço/casa habitável dentro de um dos armazéns destinados à exposição. O espaço da CASA dividiu-se entre 3 quartos, uma sala, dois corredores, uma cozinha, uma casa de banho, uma dispensa e um pátio. Durante o período da exposição da peça, os quatro elementos do colectivo habitaram a CASA. A vivência constituiu para além da utilização doméstica do espaço, a apropriação de acções, performances e vídeos que obedeceram a uma calendarização específica. Algumas destas acções foram abertas ao público geral.